FERROVIÁRIA 90 AN0S – Ex-Presidente Delvair deu sua casa como garantia para conseguir empréstimo para construir piscinas e ginásio de esportes da Ferroviária. Leia sua exemplar história

Texto: Julielton Modesto Botaro: Fotos: (Akim e Roberto Faria: acervo de Julielton, Ouverney e Clube)

https://www.facebook.com/joaopaulo.ouverney/media_set?set=a.10221063036620586&type=3

 

Delvair Gonçalves de Araújo foi Presidente da Ferroviária no período de 01/04/83 a 31/03/87, numa época em que o clube tinha muita dívida e pouco crédito (devido à construção da primeira etapa da sede própria). E tomou uma atitude arrojada que poucas pessoas teriam: para conseguir empréstimo para construção do primeiro conjunto de piscinas (inaugurado em 12/04/86) e ginásio de esportes (entregue em 01/05/89), penhorou sua própria residência junto ao banco. Conseguiu fazer as obras, quitar a dívida e continuou tendo onde morar. Seu Vice-Presidente foi José Celso Pupio, que também se elegeria Presidente e permaneceria durante 12 anos no cargo.

 

Nascido na cidade de Pindamonhangaba aos 13 de maio de 1950, teve seu nascimento registrado somente no dia 17, motivo pelo qual passou a vida toda comemorando as duas datas natalícias. Filho de Maria Aparecida Costa Araujo e Maurino Gonçalves de Araujo.

Desde os 9 anos de idade, ajudava seu pai trabalhou na lavoura de tomate. Ficou órfão de pai aos 11anos de idade e passou a trabalhar para ajudar no sustento de sua família.

Casou-se com Conceição Modesto de Araujo aos 13 de outubro de 1973, com quem teve cinco filhos: Julyver, Juliano, Julyeber, Juliel e Julielton. Ficou viúvo no ano de 1992, contraindo novas núpcias com Helenice de Oliveira Rodrigues, com quem teve mais um filho: Marcelo Rodrigues de Araujo. Aos filhos, afirmava ter orgulho de ter saído de uma casa de sapê e pau-a-pique, e ter feito duas faculdades: Ciências Contábeis e Advocacia.

Para pagar os custos das faculdades, trabalhava em três turnos; um na máquina de arroz, noutro no bar administrado por seu irmão, no bairro Santana, e dando aulas particulares de matemática. Abriu seu escritório de contabilidade e advocacia, onde praticamente todos os seus filhos começaram a trabalhar. Dizia que mesmo sendo político não deveria se favorecer do cargo que ocupava, por isso fazia questão de registrá-los e pagar todos os direitos trabalhistas devidos.

Foi Presidente e Conselheiro da Associação Atlética Ferroviária. Participou da mesa diretora da Santa Casa e do Aeroclube, passando por diversas outras instituições desportivas e políticas.

Sentia orgulho em dizer que quando foi Presidente da Ferroviária, para a construção das piscinas e das arquibancadas do ginásio, diante da negativa do Banco em conceder empréstimo para o clube, acabou dando sua casa como garantia hipotecária. Poucos teriam a ousadia que Delvair teve, mas confiante no seu trabalho, e confiando nos associados do Clube Ferroviária, ofereceu seu único imóvel como garantia. Auxiliava igrejas e associações que por tantas vezes precisavam regularizar seus estatutos e demais documentos.

Na política, ficou conhecido pela postura coerente diante das discussões sobre os mais varias assuntos. Defendia a todos, mas principalmente os mais necessitados. Travou lutas sobre o transporte complementar no munícipio, pelo conselho municipal de saúde, pelas construções da câmara e do novo fórum, entre tantas outras. Analisava com afinco as contas públicas e exercia o seu cargo com muita honra e gratidão. Foi vereador por três mandatos e procurador jurídico por duas oportunidades: na gestão do Prefeito Chesco (de 1992 a 1993) e na gestão do Prefeito João Ribeiro, em 2005.

José Celso Pupio, o Vice de Delvair, conta: “Nos dois trabalhávamos na Comevap de Pindamonhangaba, e um dia ele me procurou em minha sala e disse que havia sido convidado e se candidatar ao cargo de Presidente – que era o sonho dele – mas só aceitaria de eu fosse o Vice dele, e prontamente eu disse pode contar comigo, compadre!”. O ginásio, por ser uma obra gigantesca e muito cara, levou vários anos para ficar concluído, mas já começou a ser utilizado para Carnavais e Domingueiras mesmo antes da conclusão das arquibancadas. Curiosamente, a inauguração ocorreu em 01/05/1989, quando Celso já era o Presidente.  Até então, os bailes aconteciam no salão inicial onde hoje funciona a Academia.

Vítima de um infarto fulminante, enquanto dormia, faleceu aos 13 de abril de 2005,com  54 anos de idade, deixando muita saudade para aqueles que tiveram o prazer de conhecê-lo.

A atual Gestão 10 da Ferroviária, por meio do Presidente Leandro Matos e Vice-Presidente Julio Piorino, externa a gratidão de todos do clube à família do querido Delvair.

 

Em algumas fotos, vemos a inauguração do conjunto de piscinas e várias fases da construção delas e do ginásio (e como são atualmente), dois sonhos que Delvair conseguiu tornar realidade, além de diversos eventos sociais e esportivos durante sua gestão.